segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Carta de um filho que nunca viu sua mãe

Oi,
Sei que você não me conhece, não sei se porque quiz ou por algum impedimento da vida, não fomos apresentados.
Nasci de você, mas não te conheci, fui carregado para os braços de outra mulher, que realmente me deu muito amor.
Sei agora que a vida é difícil e as vezes precisamos de nos livrar de algumas cargas pesadas, essas cargas que em alguma noite de prazer e euforia vem pro nosso corpo, mas não temos maturidade e nem apoio de familiares para suportar.
Infelizmente numa noite de briga entre casal (nenhum casal é perfeito), ouvi sem querer meu pai (adotivo) dizer a minha mãe que ela não era mulher nem pra gerar um filho, essas coisas que mechem na cabeça da gente, como não gerar um filho, eu não fui gerado por ela nove meses, mas e o tempo que ela dedicou a mim e me fez tornar esse homem bom que eu me julgo ser.
Pois bem ouvi sem querer, e resolvi ver o real motivo que uma mãe tem para abandonar um filho e nunca mais querer saber da história dele, espero que você em algum momento de sua vida tenha lembrado do tempo que passamos juntos, daqueles momentos que eu me retorcia na sua barriga, as vezes ouvindo o som da sua voz, ouvindo seus gritos de tristeza e de felicidade, das musicas, do contato que as vezes você sem querer me fazia um carinho esfregando a sua barriga.
Não sei se ao te ver vou lembrar do som da sua voz, afinal já se passaram 20anos.
Te descobri na internet, depois de muita pesquisa e de algumas indicações que fiz minha mãe e meu pai adotivos me darem.
Amo eles demais, mas eu não posso continuar a viver bem sem saber porque fui rejeitado, estou fazendo faculdade de psicologia e se não conseguir me encontrar, talvez não consiga ajudar ninguém.
Se já tiver passado a dor me procure.
um filho a procura de sua origem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário